fbpx
X
Estamos atendendo normalmente!
Herpes zóster, vacina e prevenção

Herpes zóster é uma doença causada pela reativação do vírus da catapora (varicela-zóster), uma vez que contraído o vírus, ele desenvolve uma infecção primária. Mesmo depois da cura da doença, o vírus não é eliminado do organismo, permanecendo de forma oculta no sistema nervoso, quando imunidade abaixa, ocorre reativação do mesmo.  

Sendo mais comum a aparição em pessoas acima dos 50 anos, um dos fatores de risco é o aumento da idade, isso não significa, no entanto, que a doença não possa ocorrer em pessoas mais jovens. Além da idade, pessoas do sexo feminino, raça negra, casos de doença na família, com HIV, pacientes com linfoma ou leucemia e transplantados em uso de terapia imunossupressora, tende a ter mais riscos de contrair o vírus.  

Existe também a possibilidade de reinfecção em paciente previamente imunizados, sendo possível que uma criança adquira varicela por meio de contato com uma pessoa com herpes zoster.  

Sintomas da herpes zóster  

Alguns dias antes do desenvolvimento do vírus, pacientes relatam sentir alguns sintomas como dor, sensação de formigamento ou coceira em uma faixa da pele, as regiões mais acometidas é o tórax e a face, já as lesões surgem geralmente, em apenas um dos lados do corpo. 

Após seu desenvolvimento o vírus se alastra em grupos de bolhas pequenas, cheias de liquido, contornadas por uma área de vermelhidão e irritação da pele, ocorre-se a formação das bolhas em até 5 dias na região afetada.  

É imponte ressaltar, neste período de desenvolvimento, as bolhas são contagiosas, pois o vírus da varicela zoster está presente e que quando o transmitido em pessoas vulneráveis pode provocar catapora. 

Complicações  

O herpes-zóster pode levar a complicações graves, tais como: 

  • varicela hemorrágica ou disseminada em pessoas que possuem sistema imunológico comprometido; 
  • neuralgia pós-herpética, a qual se caracteriza por uma dor que permanece mesmo após a cura das lesões de pele; 
  • ataxia cerebelar aguda, um problema que pode comprometer a coordenação do indivíduo 
  • infecções bacterianas secundárias na pele, as quais podem levar a problemas como  
  • artrite, endocardite, meningite e pneumonia; 
  • infecção do feto; 
  • síndrome de Reyne, a qual se destaca pela inflamação do cérebro; 
  • complicações oftalmológicas, como necrose aguda da retina, conjuntivite e esclerite. 

Prevenção de herpes zóster  

Para prevenir o desenvolvimento de infecções bacterianas, as pessoas com herpes zóster devem manter a pele afetada limpa e seca e não devem coçar as bolhas. 

A vacina contra herpes zoster (recombinante) é preferível e recomendada para pessoas saudáveis acima dos 50 anos, independente da pessoa não se recordar ou não sobre ter tido catapora ou herpes zóster  e pessoas com imunocomprometimento a partir de 18 anos.  

Em Junho de 2022 chegou a Shingrix® (GSK), vacina inativada, administrada em duas doses, A eficácia da Shingrix® é superior a 90% na prevenção do herpes zoster. 

Ela contém alguns fragmentos do vírus, injetadas em um músculo, as doses são administradas com intervalo de dois a seis meses e pelo menos dois meses depois da vacina mais antiga (de vírus vivo atenuado), no caso de pessoas que tiverem tomado a vacina. 

Na InCórpore Centro Médico atendemos mais de 37 diferentes áreas medicas, entre elas a Infectologista Dra. Natália Domino – CRM 38.408 RQE 28.227 que poderá lhe orientar com o tratamento e vacinas, entre elas está a contra herpes zóster, sendo umas das doenças que vem agravando a saúde brasileira por falta de prevenção e cuidado, não espere para tratar sua doença, nós cuidamos de você e sua família por inteiro.  

Agende um horário para aplicar as vacinas e ficar seguro com sua saúde, pelo nosso WhatsApp ou se preferir pelo telefone (41) 3335-2624.  

E agende sua consulta o exame pelo nosso aplicativo InCórpore Saúde disponível na (App Store e Play Store).