X
Agende seu Exame ou Consulta
Whatsapp
E-mail
Clique aqui
Clique aqui

Os benefícios da corrida para as mulheres

A corrida já foi uma modalidade predominantemente masculina, com participação tímida das mulheres. Hoje, graças à luta de muitas atletas pela igualdade no esporte, a realidade é outra: as meninas estão dominando a corrida, seja nas ruas, seja nos parques ou em eventos esportivos.

Um levantamento recente da Federação Paulista de Atletismo revelou que em 2017 a presença feminina em provas de rua foi de 42,92%, ante 34,19% em 2014.

Qual a razão para cada vez mais mulheres quererem colocar o tênis e sair correndo? Há muitas, na verdade. E vão além do emagrecimento e da transformação física. As corredoras amadoras descobriram que apertar o passo na rua, na esteira ou na pista traz mais autoestima, bem-estar e outras vantagens sem preço para o público feminino. Confira.

1. Alivia a TPM

Correr ajuda a elevar a produção de endorfinas, serotonina e dopamina, substâncias que provocam o bem-estar e a sensação de euforia típica depois de um treino. Eles também atuam como analgésicos naturais, contribuindo para aliviar cólicas e dores musculares que derrubam o humor e a disposição antes e durante os dias da menstruação.

Um estudo da University of British Columbia, no Canadá, recrutou oito mulheres e as submeteu a um volume semanal de 20 km de corrida. Depois de seis meses, todas afirmaram que sentiam menos dores nos seios e irritabilidade na semana antes da menstruação.

Embora seja indicada em qualquer fase da vida, a atividade física pode ajudar a atenuar os sintomas do climatério (menopausa), como os calores excessivos e a alteração repentina na disposição, porque ajuda a acelerar o metabolismo e a regular as funções hormonais.

2. Melhora a autoestima

Você provavelmente conhece ou já ouviu falar de alguém que passou a se sentir mais confiante e feliz depois que começou a correr. A mudança no físico e a constatação de que é possível superar os próprios limites são as principais responsáveis por turbinar a autoestima.

“Apesar do cansaço da atividade, o corpo produz neurotransmissores que dão sensação de bem-estar e felicidade. E há, ainda, aquele orgulho em mudar o estilo de vida e perceber que você está fazendo algo de bom para si própria”, explica Tathiana Parmigiano, ginecologista e médica do esporte.

3. Ajuda a regular o sono

Em pouco tempo de atividade é possível perceber ganhos na qualidade do sono. Os neurotransmissores estão novamente por trás dessa mudança, pois aliviam a ansiedade e o estresse que muitas vezes atrapalham na hora de dormir.

Mas fique atento ao horário em que vai treinar. Como o exercício estimula a produção de adrenalina, correr perto da hora de ir para a cama pode prejudicar o descanso. Prefira treinar logo cedo ou no final da tarde para não ficar agitado demais. À noite, procure atividades mais relaxantes, como ioga ou uma caminhada.

 4. Previne osteoporose

A doença que fragiliza os ossos atinge grande parte das mulheres durante e após a menopausa. Nessa fase, a produção de estrogênio, que ajuda a proteger o tecido ósseo, diminui e expõe o organismo feminino ao problema. Se você for uma mulher ativa, a probabilidade de sofrer esse mal é reduzida.

“O impacto provocado pelo exercício estimula a produção de células ósseas”, explica Vanessa Furstenberger, educadora física, treinadora de corrida e proprietária do estúdio Be Best Energy, em São Paulo (SP).

Mais: doenças como diabetes e obesidade têm menos chances de afetar a saúde de quem corre. Entretanto, antes de começar qualquer atividade, consulte um médico para fazer uma avaliação física e não ter problemas. Outro lembrete: só o exercício não basta. É preciso seguir um estilo de vida equilibrado, com alimentação balanceada e boas noites de sono.

5. Acelera o metabolismo

O metabolismo feminino, quando comparado ao do homem, é mais lento porque a composição corporal da mulher é de mais gordura e menos massa muscular. Mas dá, sim, para reverter esse quadro por meio da atividade física. “A corrida acelera o metabolismo, o que é fundamental para elevar a queima de gordura”, explica o educador físico Adriano Freire, da academia Just Fit, em São Paulo (SP).

O ideal é treinar, pelo menos, três vezes por semana e variar os estímulos combinando a corrida com outras modalidades, como musculação e treinamento funcional, por exemplo. De quebra, você desenvolve massa magra, o que também faz diferença para o ritmo do organismo. “Quanto maior o volume muscular, mais energia o corpo gasta para manter o metabolismo ativo”, acrescenta Adriano.

Treinos intervalados, que intercalam períodos em esforço moderado e intenso e elevam a frequência cardíaca, também são eficazes para emagrecer. “Além disso, correr por uma hora em ritmo moderado pode proporcionar um gasto energético de até 700 calorias”, acrescenta Vanessa Furstenberger, educadora física, treinadora de corrida e proprietária do estúdio Be Best Energy, em São Paulo (SP).

6. Fortalece a musculatura

Principalmente a dos membros inferiores, que são bastante exigidos durante a corrida. Correr ativa grandes grupos musculares, como o quadríceps, o que ajuda a acelerar a queima calórica. Para garantir força ao correr, invista em treinos de subida, excelentes para polir o condicionamento físico.

Variar o tipo de terreno – correr um dia esteira, outro no asfalto, na terra etc – também ajuda a fortalecer tornozelos, panturrilhas e pés. No entanto, se o objetivo é desenvolver massa muscular – e, de quebra, proteger o corpo contra lesões -, complemente com musculação ou treinamento funcional, por exemplo.

7. Ajuda a fazer amigos

Correr pode ser uma atividade solitária se você quiser, mas é uma ferramenta poderosa para conhecer gente nova e com interesses parecidos com os seus. Entrar em um grupo de corrida ou assessoria esportiva trará novas pessoas para seu círculo. Dessa forma, você estará cercada de amigos e amigas que podem dar mais motivação para conquistar novas metas.

Fontes: Tathiana Parmigiano, ginecologista do Comitê Olímpico Brasileiro, graduada pela Escola Paulista de Medicina (UNIFESP); Vanessa Furstenberger, educadora física pós-graduada em treinamento funcional, treinadora de corrida e proprietária do estúdio Be Best Energy (SP); e Adriano Freire, educador físico e professor da academia Just Fit (SP).

 

Originalmente publicado em Viva Bem UOL