Você já deve ter lido ou ouvido que quanto mais colorido o seu prato, melhor. Mas você sabe o porquê?

Cada nutriente está relacionado a um pigmento ou cor. Ou seja, quanto mais colorido o prato, maior variedade de nutrientes consumidos naquela refeição. E como já falamos por aqui em outros posts, a alimentação saudável inclui variedade, equilíbrio e moderação.

Os alimentos estão divididos em grupos de cores e cada grupo apresenta uma composição de vitaminas, minerais, e substâncias bioativas e antioxidantes.

Como exemplos, temos os alimentos do grupo vermelho e alaranjado como cenoura, abóbora, mamão, damasco, tomate, entre outros, que contêm carotenoides. O beta caroteno (precursor da vitamina A) da cenoura e da abóbora está relacionado à saúde ocular, ao sistema imunológico e, assim como o licopeno do tomate, tem ação antioxidante. Também auxiliam no processo de cicatrização

Já a berinjela, o repolho roxo, as uvas e berries (amora, framboesa, etc.) contêm as antocianinas, outro tipo de antioxidante que também possui função anti-inflamatória. São alimentos ricos em magnésio.

Vegetais crucíferos como brócolis, couve de bruxelas, repolho e couve contêm glucosinolatos que, além da ação antioxidante, também são ricos em substâncias que parecem ter alguma função na prevenção do câncer. Formam o grupo verde-escuro e branco.

O grupo marrom é formado por cereais integrais e sementes, como nozes e castanhas, e são ricos em fibras alimentares e vitaminas do complexo B.

*Departamento de Nutrição da Abeso: Mônica Beyruti e Renata Bressan

Originalmente publicado no portal ABESO – Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica

Voltar