fbpx
X
Estamos atendendo normalmente!
Hepatites virais: saiba como se prevenir dessa patologia

As hepatites virais podem ser consideradas um grave problema de saúde pública, pois são doenças infecciosas causadas por vírus, com alta velocidade de transmissão, que começa de forma silenciosa, apresentando certa dificuldade de diagnosticar e podendo evoluir para um quadro mais complexo. 

 

Caracterizadas por uma inflamação no fígado, as hepatites se classificam de A à E de acordo com o tipo de vírus e sua forma de transmissão. Segundo dados do Ministério da Saúde, de 2000 a 2021, foram registrados 718.651 casos confirmados de hepatites virais no Brasil. 

 

Ainda sobre os registros da doença no país, 168.175 (23,4%) correspondem aos casos de hepatite A, 264.640 (36,8%) hepatite B, 279.872 (38,9%)  hepatite C e 4.259 (0,6%) hepatite D. 

 

Como se dá a transmissão ?

Embora as formas de contágio se diferenciam de acordo com o vírus e o tipo de hepatite, é possível traçar um cenário geral em que pode ocorrer a transmissão: 

 

  • Ingestão de alimentos ou água contaminada;
  • Contatos pessoais próximos;
  • Relações sexuais sem uso de preservativos;
  • Contato com sangue e secreções contaminadas;
  • Da mãe para o filho durante a gestação;
  • Uso compartilhado de materiais de higiene pessoal;
  • Confecção de tatuagens e piercings;
  • Transfusão de sangue;
  • Falta de esterilização de equipamentos médicos ou estéticos;
  • Consumo de carne proveniente de animais infectados.

 

Tipos de hepatites

Hepatite A

A hepatite A está entre os tipos da doença mais comum no Brasil. Conhecida como hepatite infecciosa, é causada pelo vírus HAV e, na maioria das vezes, contraída pelo consumo de água ou alimentos contaminados. 

Nesse caso, é possível tratar e curar o paciente, já que o organismo tem capacidade de eliminar o vírus após determinado período. 

Hepatite B

A hepatite B é causada pelo vírus HBV e é considerada uma infecção sexualmente transmissível

Sua manifestação pode acontecer de maneira aguda ou crônica, podendo provocar fibrose, cirrose e câncer. Há casos em que o quadro pode apresentar a necessidade de transplante do fígado. 

Embora não tenha cura, é uma doença tratável e o diagnóstico precoce é fundamental na efetividade do tratamento. 

Hepatite C

O tipo C é infeccioso e inflamatório, causado pelo vírus HCV. De todas as hepatites, é considerada a mais silenciosa. A evolução da doença é lenta e sem sintomas, dificultando o diagnóstico, que pode acontecer após um longo período, e aumentando a gravidade do quadro. 

Hepatite D

A hepatite D é provocada pelo vírus HDV, ocasiona um processo inflamatório e infeccioso no fígado e é considerado o tipo crônico de hepatite mais grave. 

Apresenta sintomas com maior intensidade e tem risco de evoluir rapidamente para uma cirrose. A Hepatite D é a mais comum no Norte do Brasil, com 74,9% dos casos notificados.

Hepatite E

A hepatite E, causada pelo vírus HEV,  é mais comum na África e na Ásia e, na maioria das vezes, de curta duração.

Sua transmissão ocorre por meio fecal-oral, ou seja, pelo contato com a água, alimentos contaminados e pela falta de saneamento básico.

 

E quais são os sintomas das hepatites virais? 

Embora haja cinco tipos de hepatites virais, os sintomas da doença são semelhantes e o que pode variar entre os vírus é a manifestação e a intensidade, tornando alguns casos mais graves ou assintomáticos.

Porém, é fundamental conhecer os sintomas e procurar ajuda médica assim que notar recorrências. Entre os sintomas, temos:

 

  • Febre;
  • Enjoo;
  • Tontura;
  • Mal-estar;
  • Dor abdominal;
  • Vômitos;
  • Olhos amarelados;
  • Fezes claras;
  • Urina escura;
  • Perda de apetite.

 

Como é possível tratar as hepatites virais?

Os tratamentos para as hepatites virais seguem alguns critérios para serem prescritos: 

 

  • Tipo de vírus;
  • Se é aguda ou crônica;
  • Estágio da doença;
  • Características do paciente.

 

A hepatite A e E são tipos que não possuem um tratamento específico e o médico pode indicar o uso de medicamentos.

A hepatite B não tem cura, mas o tratamento realizado por meio de medicamentos tem como objetivo controlar a doença. 

Para a hepatite C, o tratamento indicado é feito por antivirais de ação direta – AAD que eliminam a infecção com eficácia. 

Já no caso da hepatite D, o tratamento é prescrito de acordo com o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas – PCDT.

 

Como prevenir as hepatites virais? 

A melhor maneira de evitar as hepatites virais, independentemente do tipo, é adotando algumas medidas simples de prevenção e, assim, proteger a sua saúde e a de sua família. 

 

  • Lavar as mãos após ir ao banheiro e antes de se alimentar;
  • Lavar e higienize bem os alimentos antes do preparo;
  • Adotar medidas de higiene rigorosas com as crianças;
  • Evitar o contato com esgoto;
  • Usar preservativo nas relações sexuais;
  • Não compartilhar objetos pessoais;
  • No caso de gestantes, fazer o pré-natal e todos os exames;
  • Evitar tomar banho em cursos d’água próximos a redes de esgoto.

 

Entretanto, uma das ações preventivas mais eficientes no combate às hepatites virais é a vacinação. 

 

Infectologia em Curitiba

A infectologista da InCórpore Centro Médico, Dra. Natalia Domino, ressalta sobre a a importância de diagnosticar precocemente a doença: 

“A hepatite pode ser um inimigo silencioso. Detectar a doença precocemente nos permite indicar vacinação, tratamento e acompanhamento em tempo oportuno. Cuide da sua saúde!” 

Se você ainda não se vacinou contra as hepatites virais, agende um horário na InCórpore Centro Médico e tome a sua vacina. 

Se você apresenta algum dos sintomas de hepatite viral, entre em contato com nossos atendentes e venha se consultar com nossos infectologistas. Na InCórpore Centro Médico você conta com atendimento humanizado e mais de 36 especialidades médicas. 

 



Popup Image