fbpx
X
Estamos atendendo normalmente!
Autismo: você sabe o que é?

O mês de abril tem um importante significado para a medicina, especialmente na área da neurologia, pois lança um olhar para a conscientização sobre o Transtorno do Espectro Autista (TEA), suas características e a importância de compreender esta condição. 

 

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), uma em cada 160 crianças possui TEA. Por essa razão também se torna fundamental entender o que é o autismo

 

O neurologista da InCórpore Centro Médico, Dr. Leo Coutinho, define o TEA como um transtorno neurológico que pode afetar a comunicação, comportamento e interação social, sendo caracterizado também pela presença de comportamentos e interesses repetitivos ou restritos. 

 

“Em níveis distintos de gravidade, o autismo afeta o processamento de informações e altera a maneira como as células nervosas e suas sinapses se conectam e organizam”, explica Leo Coutinho. 

 

Em alguns casos, a pessoa autista pode ter deficiência intelectual ou possuir uma inteligência surpreendente, sendo chamadas de autistas de alto funcionamento. 

Como identificar o autismo

Os comportamentos característicos do autismo podem ser notados já no primeiro ano de vida, mas geralmente o diagnóstico é dado entre os 4 e 5 anos. 

 

O Dr. Leo Coutinho afirma que “as dificuldades de interação social e de se comunicar, a hipersensibilidade sensorial, o desenvolvimento motor atrasado e os comportamentos repetitivos ou metódicos podem ser sinais de TEA”.

O que causa o autismo?

Embora não seja uma condição rara, ainda não há causas totalmente conhecidas. 

 

Contudo, alguns relatos em comum sobre determinados fatores contribuem para entendermos o que pode ocasionar o TEA. Entre os principais fatores estão o estresse, exposição a substâncias tóxicas, desequilíbrios metabólicos, infecções e complicações durante o período de gravidez.

Capacidade do autista

O autismo é um transtorno neurológico sem cura que se manifesta na infância e permanece pela adolescência e fase adulta. Nos casos mais severos faz com que o autista precise de atenção e apoio constante ao longo de suas vidas. 

 

Porém, há inúmeros casos em que o autista vive de forma independente e se destaca em diversas áreas profissionais. Ao contrário do que muitas pessoas pensam, as dificuldades que um autista encontra para realizar algumas atividades não o impedem de desenvolver outras habilidades 

 

“Em muitos casos, o autista se interessa por determinadas atividades e seu foco se volta quase que totalmente para isso, dando a possibilidade de se tornar um grande profissional, um estudioso de referência com habilidades incríveis”, lembra o neurologista. 

Por que conscientizar

A campanha Abril Azul surgiu da necessidade de conscientizar sobre o autismo e combater a discriminação, ainda muito grande, com as pessoas que possuem o TEA. Ao saber mais sobre o tema, podemos entender melhor suas vidas e a de suas famílias. 

 

Compreender o autismo significa tornar cada vez mais real a inclusão de quem convive com esta condição e transformar a vida de muitas pessoas. 

Acompanhamento médico

O acompanhamento de um neurologista desde o primeiro sinal de autismo identificado é fundamental para diagnósticos e intervenções precoces que podem definir o grau de TEA que a criança apresenta e diminuir os impactos dos sintomas em sua vida.

 

Se você percebe algumas das características do autismo citadas acima em alguma criança próxima de seu convívio ou conhece alguém que tem dúvidas sobre o Transtorno do Espectro Autista, agende uma consulta na InCórpore Centro Médico com o neurologista Dr. Leo Coutinho. 



Popup Image