fbpx
X
Estamos atendendo normalmente!
Benefícios do chocolate

Muitos estudos mostram que os benefícios do chocolate estão relacionados ao seu ingrediente

principal, o cacau. O cacau é o fruto do cacaueiro composto principalmente por gordura (33% de

monoinsaturada) e polifenóis (taninos e flavonoides). Por isso, quanto maior a concentração de cacau

no chocolate maior será sua densidade nutricional.

Existem diversas opções de chocolates no mercado, em geral as categorias se dividem de acordo com

sua concentração de cacau, ex.:

– Chocolate branco é feito com manteiga de cacau, leite, açúcar e lecitina, podendo ser acrescentados

aromas como o de baunilha;

– Chocolate ao leite possui em sua composição leite ou leite em pó e mínimo de 25% de cacau;

– Chocolate meio amargo deve ter uma quantidade mínima de 35% de cacau;

– Chocolate amargo é feito com mínimo de 70% de grãos de cacau;

Os polifenóis presentes no cacau são os que conferem seus potenciais benefícios à saúde, como:

– Redução da pressão arterial

– Melhora da resposta à insulina

– Ação anti-inflamatória

– Melhora da função vascular

– Ação antioxidante

– Prevenção de alguns tipos de câncer e de doenças cardiovasculares

– Redução do risco de formação de coágulos

– Aumento dos níveis de HDL (colesterol “bom”) média de 12,5%

 

A quantidade necessária de polifenóis com potenciais benefícios à saúde tem sido largamente estudada para estabelecer um valor mínimo de ingestão.

Vale lembrar que o chocolate é um alimento energético, do grupo dos óleos e gorduras da pirâmide

alimentar, e por isso seu consumo diário, em grande quantidade e por um longo período, pode causar

aumento de peso corporal.

Porém comer chocolate, principalmente na páscoa faz parte da nossa tradição e é algo que gera

contentamento e sensação de bem estar, pela já conhecida ação da endorfina e dopamina no cérebro. E ainda, a Academia Americana de Nutrição ressalta que

“Todos os alimentos podem fazer parte do padrão alimentar, se consumidos com moderação, no tamanho da porção apropriada e combinados

com atividade física regular”. Por isso seu consumo deve ser sim apreciado e principalmente, sem culpa.

 

Referências:

1. D’El-Rei J., Medeiros F., “Chocolate e os benefícios cardiovasculares”, Revista do Hospital Universitário

Pedro Ernesto. 2011; Ano 10: 54-59.

2. Efraim P., Alves A.B., Jardim D.C.P., “Revisão: Polifenòis em cacau e derivados: teores, fatores de variação

e efeitos na saúde” Braz. J. Food Technol., Campinas, v. 14, n. 3, p. 181-201, jul./set. 2011

3. Pimentel A.F., Jong V.E., Nitzke J.A., “Avaliação do poder antioxidante do chocolate amargo – um

comparativo com o vinho tinto. Porto Alegre, 2007.

4. de Andrade, R. V., da Silva, A. F., Moreira, F. N., Paulo, H., Santos, S., Dantas, H. F., … & Nascimento, M. A.

(2003). Atuação dos neurotransmissores na depressão. sistema nervoso, 2, 3

5. Freeland-Graves JH, Nitzke S; Academy of Nutrition and Dietetics. Position of the academy of nutrition and

dietetics: total diet approach to healthy eating. J Acad Nutr Diet. 2013 Feb;113(2):307-17.

 

Mariana Mendes Muniz

Nutricionista / CRN8- 9847