fbpx
X
Estamos atendendo normalmente!
Campanha contra o – HPV

A INCÓRPORE inicia a campanha contra o HPV, proporcionando atendimento diferenciado aos seus pacientes.

 

HPV é a abreviatura de  “HUMAN PAPILOMAVIRUS”, o que significa  PAPILOMAVIRUS HUMANO. O HPV é um vírus universal, que não tem preferências, quer seja quanto ao sexo, idade, raça ou localização geográfica. Já foram identificados aproximadamente 100 tipos de HPV, sendo que cerca de 15 podem causar doença.

A infecção por HPV atinge aproximadamente 630 milhões de pessoas no mundo. Estima-se que a cada dia, no Brasil, 10 mulheres perdem a luta contra o câncer de colo de útero, uma das doenças causadas pelo HPV. O mesmo vírus também é responsável pelo câncer de ânus (90 a 93%), câncer de orofaringe (12 a 63%), câncer de pênis (36 a 40), câncer de vulva (40 a 51%), câncer de vagina (40 a 64%) e pelas verrugas genitais em homens e mulheres.

O HPV pode permanecer no organismo sem qualquer sintoma por meses e até anos. Os tumores malignos, por exemplo, podem demorar de 10 a 20 anos para se desenvolver. A probabilidade de contágio também é alta, varia de 50 a 80%, e o vírus pode ser transmitido mesmo que esteja latente (sem manifestação visível). A transmissão ocorre principalmente nas relações sexuais, mesmo sem penetração sexual, bastando o simples contato entre pele ou mucosa. Além disso, embora seja menos freqüente, o vírus também pode se propagar por meios não-sexuais através de contato com a mão, pele, roupa ou objetos contaminados. Nesse cenário, é extremamente importante levar em consideração todos os meios de prevenção, principalmente a vacinação que representa uma medida de prevenção primária.

No Brasil, atualmente, a Vacina Quadrivalente contra o HPV está indicada para meninas, meninos, mulheres e homens de 9 a 26 anos de idade. É importante enfatizar que a vacinação a partir de 9 anos não está relacionada com uma provável iniciação sexual ultraprecoce, mas com o fato de que, o corpo já tem capacidade de gerar uma resposta do sistema imunológico e produzir anticorpos contra o vírus. O ideal é que a vacinação ocorra antes do início da vida sexual, porém a eficácia da vacina se estende para homens e mulheres sexualmente ativos que já tiveram contato com o vírus. Isto ocorre porque em 50% dos casos a

doença natural não gera imunidade, o que permite que a pessoa se infecte pelo mesmo vírus várias vezes na vida. Por este motivo, os benéficos da vacinação contra o HPV se estendem além dos 26 anos e a vacina pode ser administrada para mulheres mais velhas mediante orientação de um médico responsável. É de extrema importância apontar ainda que a vacina não substitui os outros métodos de prevenção e tampouco descarta o uso dos preservativos. Ambos os sexos, homens e mulheres, devem consultar o urologista/ginecologista com regularidade e realizar os exames indicados pelos médicos.

O tratamento consiste em 3 aplicações: 1º dose, após 2 meses 2º dose, e 3º dose depois de 4 meses da segunda aplicação.

A vacinação é uma das formas mais segura e eficaz de evitar câncer e verrugas genitais decorrentes de infecção pelo HPV. Previna você e sua família e tenha mais saúde e qualidade de vida!

 

Fontes:

  1. Castle PE. Beyond human paillomavirus: the cervix, exogenous secundary factors, and the development of cervical precancer and câncer. J Low Genit Tract Dis. 2004;8(3):224-30.
  2. Rager KM, Kahn JA. Human papillomavirus and adolescent girls. Curr Women Health Rep. 2002;109(1):96-8.
  3. Collins S, Mazloomzadeh S, Winter H, Blomfield P, Bailey A, Young LS, et al. High incidence of cervical human papillomavirus infection in women during their first sexual relationship. BJOG. 2002;109(1):96-8.
  4. Velicer C, Zhu X, Vuocolo S, Liaw KL, Saah A. Prevalence and incidence of HPV genital infection in women. Sex Transm Dis. 2009;36(11):696-703.