fbpx
X
Agende seu Exame ou Consulta
Whatsapp
E-mail
Clique aqui
Clique aqui

Março Amarelo e endometriose   

Março Amarelo é a campanha de conscientização sobre a endometriose. De acordo com a Associação Brasileira de Endometriose (SBE), a doença afeta cerca de seis milhões de brasileiras. Por esse número, percebemos que se trata de uma doença extremamente comum. Mas ainda é pouco diagnosticada.

A endometriose é caracterizada pelo crescimento de endométrio fora da cavidade do útero, órgão onde ele normalmente se localiza. A causa ainda não é completamente entendida e os sintomas são muito variáveis: desde inexistentes até dores pélvicas incapacitantes (mais frequentes e intensas durante as menstruações), infertilidade, dores durante ou depois de relações sexuais, alterações urinárias ou intestinais.

A suspeita diagnóstica é, em um primeiro momento, clínica, baseada nos sintomas e no exame físico, que podem encontrar alterações muito sugestivas da doença. Porém, em muitos casos é necessário realizar exames complementares, como a ultrassonografia transvaginal com preparo intestinal ou ressonância magnética, ambos muito eficazes para identificação e localização das lesões da endometriose.

O tratamento é sempre individualizado, de acordo com as queixas e objetivos de cada mulher, incluindo muitas vezes analgésicos e anti-inflamatórios para a dor, além de uso hormonal para controlar sintomas e lesões. Alguns casos podem necessitar de intervenção cirúrgica, principalmente quando os medicamentos não atingem controle sintomático suficiente, na presença de infertilidade ou de massas pélvicas.

A via cirúrgica de escolha usualmente é a laparoscopia, que pode ser utilizada para diagnóstico em situações específicas, mas também para o tratamento da endometriose de maneira minimamente invasiva.

 

Por: Dr. Daniel Pereira Mandarino (CRM 28.945)

Médico ginecologista na InCórpore Centro Médico